PsicologiaPediátrica

Ao longo da infância, a criança atravessa momentos de insegurança, medos, dificuldades de socialização, de lidar com seu corpo ou expressar suas dúvidas e seu sofrimento. Essas questões podem, de acordo com a intensidade com que se presentificam, prejudicar a criança na relação com seus pais, com a escola, com seus amigos e com a manutenção de sua saúde física, ou seja, com tudo aquilo que a criança se relaciona.

Nesse momento, a escuta de um psicólogo pode favorecer à abertura de um novo campo de possibilidades que a própria criança é capaz de construir. Essa construção constitui o trabalho analítico, no qual o saber da criança-sujeito é privilegiado, saber que a permitirá lidar de outras maneiras com o desconhecido, propiciando um desenvolvimento psíquico menos conflituoso e sofrido, mais inventivo e prazeroso.

No período da adolescência, novos questionamentos surgem junto aos interesses próprios desse período de transição para a vida adulta, ocorre uma mudança de posição na relação com os pais, principalmente, sendo inevitáveis os estranhamentos de um corpo em plena transformação e os conflitos com a sexualidade.

Esse momento pode ser vivido com muita dificuldade por alguns jovens. O trabalho de elaboração dos conflitos psíquicos junto ao psicólogo é uma oportunidade de atravessar a adolescência com mais tranquilidade, se responsabilizando pelas escolhas que precisará fazer nessa fase cheia de desafios.

O trabalho de análise permitirá a esses sujeitos, criança e adolescente, se apropriarem de seu destino - a ser construído com os instrumentos que cada um possui, que é sua própria história - com mais segurança e vivacidade, uma vez mais conectados com seu desejo.